segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Quando a coisa pública se torna coisa privada – o caso Ideli Salvatti

Por: José Boas

Ideli Salvatti parece ser uma dessas pessoas que acredita fortemente que os fins – definitivamente – justificam todos os meios. Defendeu Lula no caso do mensalão e se tornou articuladora política do governo Dilma após ver seu nome rejeitado vergonhosamente pelo povo catarinense nas últimas eleições.

Candidata ao senado para o ano que vem, busca apoio do povo do interior de Santa Catarina, não poupando viagens para qualquer rincão que lhe dê ouvidos desde o ano passado. Somente nos últimos vinte meses foram trinta e cinco viagens. Seu lema parece ser bem simples: “as eleições estão chegando, é hora de reforçar a imagem de política preocupada com o povo catarinense”.

Ideli Salvati - após ficar em terceiro lugar nas últimas eleições para o governo de Santa Catarina, busca reconquistar o eleitorado catarinense visitando o interior. Para isso, os fins justificam todos os meios...
Até aí tudo certo! O que de fato chama a atenção é o veículo preferido de Ideli Salvatti para estas viagens ao interior: um helicóptero Bell 407 da Polícia Rodoviária Federal usado em Santa Catarina para resgates em rodovias... todas as vezes que Ideli quer visitar seus eleitores, manda tirar a maca de dentro da aeronave e toma-lhe “emprestada” do Estado.

Um dos policiais responsáveis pelo trabalho de salvar vidas nas rodovias atendidas pelo helicóptero afirmou ao Correio Braziliense, em tom de sarcasmo: “Aqui todo mundo brinca dizendo que o governo federal vai retirar o distintivo da PRF e o logotipo do SAMU da fuselagem do helicóptero e colocar no lugar um adesivo com a foto da Ideli. Faz todo sentido...”, lamenta.

As autorizações das viagens com o helicóptero-ambulância da PRF – chanceladas a partir da Coordenação-Geral de Operações de Brasília – para a ministra toda-poderosa de Dilma também relatam outro ponto bastante intrigante: a maioria se deu às sextas-feiras, justamente no dia que, estatisticamente, o número de acidentes é maior nas rodovias do estado sulista.

Bell 407 da PRF de Santa Catarina... Helicóptero-ambulância e táxi aéreo de Ideli Salvatti
Em resumo, a ministra petista deixa claro ao povo catarinense e brasileiro que, para ela, mais vale garantir alguns votos do que salvaguardar algumas vidas; mais vale usar um aparelho público para fazer suas campanhas particulares do que arcar ela própria – ou seu rico partido – com estes custos... mais uma vez se evidencia que, para o atual governo a fronteira que divide a res publica da res privata é tênue, porosa e sem valor.