segunda-feira, 30 de setembro de 2013

As três contradições de Dilma espionada...


Por: José Boas

Dilma foi a Nova Iorque, território yankee, para reclamar das supostas espionagens feitas pela Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EEUUA sobre o governo brasileiro. Com firmeza falou, na abertura da 68ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que se tratava de uma afronta aos direitos humanos (como?!) e que “o Brasil apresentará uma proposta de uma nova governança na internet, que defina normas e mecanismos para coibir práticas de violação de direitos ou espionagem de quaisquer países” (como?!).

Dilma, por um lado se dizendo indignada com a espionagem da NSA, mas por outro fazendo cortes nos investimentos para a Inteligência e contra-espionagem

Mas ela parece haver esquecido de mencionar alguns pontos que põem toda esta indignação em xeque.

1 – Dilma não disse que seu governo reduziu em R$ 20 milhões o orçamento para defesa cibernética no Brasil

Segundo texto de Mariana Dutra, no sítio da Organização Contas Abertas, ao contrário do esperado após as ações de espionagem do governo americano ao Brasil, o orçamento para defesa cibernética, previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa), foi reduzido em R$ 20 milhões para o próximo ano. Apenas R$ 70 milhões foram destinados à ação “Implantação do Sistema de Defesa Cibernética”, valor que representa 78% dos R$ 90 milhões previstos no Ploa 2013 e autorizados no orçamento deste ano, considerando os valores correntes.

Os recursos da iniciativa são destinados ao Centro de Defesa Cibernética (CDCiber), criado em 2012 para atuar na proteção das redes e infraestruturas de tecnologia da informação das instituições e entidades que compõem a defesa nacional. As atividades do CDCiber estão centradas em ações relativas à segurança do Estado, por meio da utilização de sistemas de defesa contra possíveis ameaças e de mecanismos de proteção de dados sensíveis. Desde a criação, o Centro atuou na Rio+20, na Copa das Confederações e na visita do papa ao país.

A despeito de reconhecer que "o Brasil está vulnerável a ataques cibernéticos" e que "é necessário promover uma modernização tecnológica na área", o governo Dilma corta R$ 20 milhões do orçamento anual para a defesa cibernética do país


Em entrevista recente ao jornal Correio Braziliense, o ministro da Defesa, Celso Amorim, afirmou que o Brasil está vulnerável a ataques cibernéticos e é necessário promover uma modernização tecnológica. Para Amorim, o CDCiber precisa evoluir, criar capacidades e uma “escola de defesa cibernética”. “Precisamos desenvolver tecnologia brasileira. Isso leva tempo, demanda investimentos, formação de pessoal e mudança de cultura”, apontou o ministro.

Como já divulgado pelo Contas Abertas em reportagem anterior, os recursos destinados à ação estão mal executados. Dos R$ 90 milhões autorizados para 2013, apenas R$ 15,7 milhões foram empenhados (reservados em orçamento para pagamento posterior) e somente R$ 14,4 milhões haviam sido pagos até o dia 21 deste mês.

De acordo com o Ministério da Defesa, o fato de ter havido empenho de apenas parte do valor previsto não significa que os recursos não serão desembolsados. “O orçamento da área cibernética segue histórico de execução que registra uma concentração de empenho dos recursos no segundo semestre do ano” afirma o órgão. Ainda segundo a Defesa, há projetos e contratações em curso este ano que permitem a execução integral do montante previsto na LOA.

 2 – Dilma reclama que facebook auxiliou na espionagem dos EEUUA ao Brasil, mas não diz que também pediu dados sobre internautas

O Facebook liberou no último dia 27 de agosto seu primeiro relatório de requerimentos governamentais por dados de usuários, referente ao período entre 1º de janeiro e 30 de junho deste ano, durante o qual o governo brasileiro fez 715 solicitações, abrangendo 857 usuários da rede social.
Um terço (33%) dessas solicitações foi atendido pelo Facebook por conta de determinação judicial. A companhia não divulga quais foram os usuários que tiveram sua conta aberta a órgãos governamentais. 

Os dados liberados podem incluir endereço de IP (identificação do computador), nome e registro de atividades e costumam ser pedidos a fim de auxiliar investigações criminais, como em casos de fraudes eletrônicas ou de sequestros, segundo a empresa.

A despeito de questionar os EEUUA por usarem o Facebook e o Google para fazer monitoramento de civis, o governo brasileiro pediu, somente no primeiro semestre de 2013, informações sobre 857 usuários do Facebook e solicitou a remoção de 1.731 itens de busca do Google. Além disso, Dilma ainda propõe uma espécie de "governança na internet" muito mal explicada até o presente momento

Da lista de países, o Brasil fica em sétimo lugar em solicitações, atrás de: Estados Unidos, Índia, Reino Unido, Alemanha, Itália e França.

"Esperamos que este relatório possa ser útil para usuários no atual debate sobre os padrões de pedidos governamentais por informações de usuários em investigações", escreveu Colin Stretch, advogado do Facebook, no comunicado em que o relatório foi divulgado. 

No relatório de transparência que é divulgado pelo Google, o Brasil também costuma figurar entre os que mais fazem solicitações. No mais recente, o país ficou no topo da lista . No caso do buscador, os requerimentos são para remoção de conteúdo (só no segundo semestre do ano passado, 697 solicitações vindas do Brasil para remover 1.731 itens – o número representa 30,5% do total de 2.285 requerimentos [24.179 itens] feitos no mundo todo).

3 – Dilma contradiz Lula, que tratou as revelações do Wikileaks como “fofoca”

Em texto publicado no dia 01 de dezembro de 2010, o blog Amigos do Presidente Lula repercutiu uma frase do líder petista: “as revelações do Wikileaks parecem fofoca da revista Caras”.

Lula sobre Wikileaks: "parece fococa da Caras"

O mesmo blog continua a questionar, em tom de troça, a competência da espionagem yankee sobre as relações do Brasil com a França, perguntando se Hillary Clinton de fato dava-se o trabalho de ler e levar a sério o que os seus órgãos de inteligência produzem.

4 – Conclusões:

Dilma mais uma vez mostrou que seu governo sofre de algum tipo de esquizofrenia seletiva, pois se por um lado chega às raias da ira ao afirmar que “os EEUUA devem um pedido de desculpas ao Brasil”, por outro: deixa de investir o mínimo em tecnologia e treinamento contra-espionagem no próprio país que administra; utiliza-se dos mesmos instrumentos que critica tão severamente para saber da vida de brasileiros, e; desmente seu próprio criador – LULA – que de um evento tão mais barulhento, achou por bem usá-lo como motivo de piada.

Afinal de contas... será que Dilma de fato sabe do que está falando?

Fontes:

Contas Abertas –
http://www.contasabertas.com.br/WebSite/Noticias/DetalheNoticias.aspx?Id=2150&AspxAutoDetectCookieSupport=1

Folha on Line –

Blog Amigos do Presidente Lula –
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2010/12/vexame-dos-eua-no-wikileaks-relatorio.html